Seguidores

5 de maio de 2012

Pessoas Irritantes: É Possível Não se Irritar?

Irritar as pessoas, de uma forma geral, não é uma coisa difícil. Mas existem pessoas que tem um talento enorme para fazer isso.

Todos nós temos um certo grau de suscetibilidade no que se refere a reagir diante de provocações.

Quanto mais frágeis são nossas convicções ou quanto mais valorizamos as opiniões alheias em detrimento das nossas, maior esse grau. Quanto maior o grau, maior a intensidade das nossas reações e mais rapidamente elas ocorrem.

São raras as pessoas que permanecem impassíveis diante de alguém com franco objetivo de desestabilizá-las e que sabe como fazer isso.  E há Irritantes que ultrapassam tanto os limites do bom senso que mesmo quem tem baixo grau de suscetibilidade pode acabar sendo afetado em alguns momentos.

Façamos uma pequena análise dos Comportamentos Irritantes:

1. Destacando as Falhas Alheias

Pessoas que se relacionam com as outras buscando seus defeitos e dificuldades para destacá-los e divulgá-los sempre que possível e de forma gratuita e sistemática, dificilmente vão deixar de nos irritar.

Quem age assim geralmente tem uma enorme insegurança, não acredita no próprio potencial e pensa que só diminuindo os outros vai conseguir aumentar seu próprio valor aos olhos alheios.

Ainda não percebeu que quando alguém é bom em alguma coisa é porque tem méritos, não é bom apenas porque o outro é pior.

E estes muitas vezes nem querem irritar ninguém, mas irritam da mesma forma...

2. Fazendo Afirmações Genéricas Falsas e Veementes

Isso numa discussão ou debate sobre qualquer tema funciona que é uma beleza como fator irritante.

Por mais que a gente perceba claramente que o que foi dito não faz o menor sentido não merecendo sequer ser refutado, haja paciência para não reagir e não esclarecer as coisas.

E esclarecer é pura perda de tempo já que no mais das vezes, o Irritante sabe que sua declaração é uma bobagem, ele apenas está tentando atingir seu objetivo.

Quem se manifesta desta forma com a intenção de irritar geralmente dá foco a questões que podem ferir sensibilidades, que mexem com nossos valores e com aquilo que acreditamos.

Ele ainda não aprendeu que este tipo de atitude pode até magoar os mais sensíveis e consequentemente aumentar sua coleção de inimizades, mesmo que o cenário seja uma simples conversa entre amigos.

3. Ofendendo sem motivo:

Ouvir alguém falar coisas ofensivas ditas de forma exagerada e em tom agressivo, seja sobre a gente ou sobre aqueles que gostamos ou admiramos e ainda assim tentar ficar impassível, é um dos maiores testes de tolerância com as bobagens humanas que conheço.

Para desestabilizar não tem coisa melhor já que, em se tratando do irritante, essas ofensas não tem fundamento algum, só servem para irritar mesmo.

E quem atua dessa forma nem sempre percebe que está perdendo a credibilidade. Inverdades Exageradas são ótimas para se conseguir isso.

4. Mas Como Não se Irritar?

Boa Pergunta! Muito Difícil. Sempre acho que tentar compreender as motivações das pessoas ajuda a desenvolver nossa paciência, tolerância e nossa capacidade de perdoar. Inclusive a nós mesmos.

Se a gente observar, o Irritante quer apenas chamar a atenção ainda que de uma forma equivocada. Alguns irritam de forma quase inconsciente, mas outros fazem isso de propósito.

Quem faz isso de próposito conhece a natureza humana, portanto sabe o que fazer e dizer para alcançar seu objetivo. Mas ainda desconhece infelizmente, o significado da palavra respeito, usando e abusando de ironias e deboches.

Então o segredo é simplesmente ignorar, por mais difícil que isso possa ser. Tudo que o irritante não quer é ser ignorado. Assim que ele perceber que ficou falando sozinho, a brincadeira perde a graça e acaba.

Pelo menos em relação a gente, já que provavelmente ele buscará outras vítimas. E fará isso até descobrir que existem maneiras bem melhores de conseguir a atenção que ele tanto deseja.

Agora, ignorar não é um método rápido algumas vezes. Porque nesso caso corremos o risco de irritar o Irritante e obviamente quem gosta de irritar detesta ser irritado. Afinal quem se alegraria em experimentar o próprio veneno?

E aí ele pode se empenhar ainda mais no sentido de nos tirar do sério, se for do tipo incansável. Mas se a gente conseguir se manter firme e tranquilo, até o incansável cansa e vai procurar alguém mais acessível.

Uma outra coisa que me parece importante é destacar que muitas vezes o Irritante não é agressivo nem mal-educado. Só age assim para alcançar sua meta. Tudo jogo de cena e se a gente não se cuidar pode acabar entrando no jogo e criando uma sintonia nada saudável.

No caso de inverdades, um pouco de senso de humor ajuda a evitar irritações. É só nos darmos conta que algumas afirmações são tão "sem noção", que chegam a ser até engraçadas.

5. Conclusão

De qualquer forma, sempre é bom ter em mente que defeitos todos temos e a vida se encarrega de nos trazer as lições que precisamos para rever nossas atitudes e redirecionar nossos rumos.

Essa percepção ajuda na convivência, inclusive com relação a pessoas que a gente reconhece como difíceis de se lidar. Até porque nem sempre nos damos conta que podemos ser também difíceis para alguém.

O fato é que tanto irritar como ficar irritado são duas atitudes que não trazem benefícios pra ninguém. E quanto antes a gente substituir essas bobagens por uma forma cordial e positiva de interagir com as pessoas, melhor pra todo mundo. O ambiente ao redor agradece.

Este texto é apenas a opinião de alguém que sabe muito bem como irritar as pessoas, mas que já abandonou há muito tempo esta prática depois de ter finalmente percebido que ela não faz o menor sentido, o que ficou claro pelos resultados adversos que teve como retorno.

Mas se porventura o leitor amigo for um tanto Irritante e ficar irritado com este texto, peço desculpas desde já. Como disse antes, não tenho mais a menor intenção de irritar ninguém, mas de vez em quando posso ter alguma recaída sem notar, já comprovei.

E agora é a sua vez: você também é irritante ou se deixa irritar?

26 comentários:

  1. Denise,

    A palavra chave é ignorar. Ignorar o irritante é colocá-lo no seu devido lugar, ou seja, na mediocridade.

    Já foi o tempo em que, quando alguém procurava me irritar, e de graça, tinha a vontade de acabar com a pessoa. Nunca entrei em vias de fato, mas sempre tive disposição para argumentar, discutir e até mesmo pegar pesado com as palavras.

    O irritante parece gostar, inclusive, de ser detonado, ofendido, e até humilhado quando das suas provocações. Isso porque quando isso acontece ele acaba alcançando seus objetivos: tirar alguém do sério e fazer o irritado se expor, se queimar e até mesmo se rebaixar ao nível do irritante. Este, algumas vezes, de baixo nível.

    Vou ser bastante sincero e transparente com você. Sou grato a Deus por ter um dia me convertido e Ele ter me dado uma vocação que me faz pensar, repensar, reconsiderar até engolir muitos sapos. A Bíblia ensina algumas coisas difíceis de cumprirmos, porém não são impossíveis e Deus nos dá forças. Destaco duas:

    1) "E ao servo do Senhor não convém contender, mas sim, ser manso para com todos, apto para ensinar, sofredor;" (II Timóteo 2:24);

    2) "se possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens; (Romanos 12:18)

    Hoje, quando alguém procura me irritar, vou orar pela pessoa e pedir a Deus forças para não sair da graça. A vontade mesmo é outra: torcer o pescoço; detonar; revidar... Mas isso é fazer o jogo do irritante. Pior que isto é me fazer quebrar a comunhão com Deus.

    Tenho dito para as pessoas com as quais convivo, seja na igreja e na família, que este é o meu espinho na carne. Todos os dias tenho de estar vigilante para o meu pavio não queimar ante uma provocação e irritação. Hoje até consigo ficar calado, abaixar a cabeça, levantar e sair sem responder.

    Fui sincero na minha colocação.

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Oi Antônio,

    Sei da sua sinceridade e da transparência das suas colocações, sempre oportunas e inteligentes.

    E concordo com você. A palavra-chave é ignorar. Mas que não é fácil, não é mesmo, acho que pra ninguém.

    Como você, já tive minha época de não levar "desaforo pra casa", de me posicionar frente a coisas que me pareciam injustiças e argumentar exaustivamente em discussões sem sentido, sem me importar de descer ao nível de quem estava "atacando", se fosse o caso.

    Também atribuo a minha fé, que foi o que me proporcionou uma forma diferente de encarar a vida e meus semelhantes, o pouco que consegui avançar nestas questões de paciência e tolerância.

    Diminuí um pouco meu grau de suscetibilidade, embora ainda esteja longe de não correr o risco de rodar a minha "baiana-gaúcha" em determinadas situações. Tem gente que exagera...

    E como você viu no texto, também já estive do lado do irritante, infelizmente.

    Deste período trago como "sequela" uma certa dose de ironia na minha forma de me expressar que tenho que ficar me policiando para não ferir a sensibilidade alheia.

    Por conhecer bem o outro lado, também concordo quando você diz que o irritante gosta do revide mesmo que seja no sentido de ser detonado, porque o objetivo ele alcançou: conseguiu a atenção que almejava.

    Em função disso afirmei no texto que a pior coisa pra ele é ficar falando sozinho, já que nesse caso seu objetivo se dissipou totalmente.

    E quem sabe então ele perceba que existem métodos bem melhores de alcançar sua meta.

    Mas amigo, adorei os ensinamentos biblicos. E gostei especialmente deste:

    "se possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens; (Romanos 12:18)"

    Paz, é disso que precisamos cada vez mais neste nosso mundo. Já chega de violências sem sentido.

    Grande Abraço

    ResponderExcluir
  3. Oi Denize,
    Ótimo tema, afinal, encontrar pessoas irritantes é bastante comum.
    Eu, infelizmente, sou ainda um pouco inconstante nessa questão. Tem dias que me irrito com facilidade, em outros lido absolutamente bem com isso. Acho que isso depende muito da sintonia. Quando me irrito, gosto de observar atentamente em mim o motivo de ter ficado dessa forma - na hora não consigo fazer essa reflexão, mas depois que me acalmo e a faço, acabo ganhando muito em autoconhecimento.
    O que procuro fazer é ignorar, não entrar nessa cilada. Acho que é a melhor solução.
    Adorei o seu post!
    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Denize, a melhor maneira de irritar um irritante é ignorá-lo com delicadeza. rsrs
    Quando se trata de alguém chegado que quer "brigar" nem tenho contemplações, da ignorância passo à ausência para essa pessoa pensar melhor...

    Bem, na verdade isto também é ser irritante para a outra parte! rsrs

    Beijão!

    P.S. Estou a arquitectar aquela questão de que falamos. Depois escrevo-te.

    ResponderExcluir
  5. Oi De!!!
    Menina, juntando esse seu ótimo post com o da Sam, podemos conversar o dia inteiro! Tema muito interessante mesmo!
    Eu te confesso que ainda não encontrei o meu equilíbrio e nem atingi a minha maturidade nesse assunto! Tem dias que estou light e nada, absolutamente nada me irrita. Porém, tem outros que até uma vírgula a menos me provoca irritações profundas...rsrs... Meu marido diz que sofro influências da Lua...agora só não percebemos o que cada fase dela me provoca...
    Eu tento (veja bem, tento!) na maior parte das vezes ignorar ou, no mínimo, levar em conta que aquela pessoa possa não estar num bom dia. Isso acontece com todos nós! Entretanto, algumas pessoas demonstram que o tal "bom dia" nunca chega e sempre estão destilando venenos, ironizando, provocando e irritando tudo e todos!
    Infelizmente (acho eu) tenho um senso de justiça (dentro daquilo que acredito como justiça) muito forte e não suporto ver pessoas, covardemente, atacando e massacrando outras. Nem que seja de um modo calmo e equilibrado, buscando paz, tento intervir. Dificilmente você me verá partindo para agressões verbais. Aprendi, também, com a vida, que isso não leva a lugar nenhum e que quase sempre não compensa (para nós) tamanho desgaste emocional. As pessoas são como são e é certo que não podemos mudá-las (e nem queremos isso), mas o que queremos sempre , já que temos que conviver em ambientes sociáveis, é que a educação e respeito estejam presentes. Isso é o mínimo que esperamos daqueles que convivem de uma forma ou outra conosco!
    Vivo questionando sobre as diferenças entre as pessoas e o quanto devemos respeitá-las, buscar compreensão no estado evolutivo de cada um, no tempo de maturidade, enfim... Mas, não somos perfeitos (aliás, muito longe disso) e inevitavelmente tentamos "educar" pessoas irritantes, chamando-as para um bom senso razoável de convívio.
    Acho, inclusive, que esse meu jeito, também irrita muito algumas pessoas! rsrs
    Uma coisa eu garanto: não sou de ficar em cima do muro! Quando tenho uma opinião, defendo até que me provem o contrário...rsrs...e sou bem maleável e receptiva para isso, mas tem que ter bons argumentos para me convencer! Teimosia? Pode ser...mas é também o meu jeito irritante de ser!
    Grande beijo e desculpe pelo comentário tão longo. É que os seus posts sempre dão o que pensar e comentar...rsrs... Ótimo mesmo! Parabéns!
    Jackie

    ResponderExcluir
  6. Oi minha querida.... adorei o texto... e como tem gente irritante por aí!
    Amiga, confesso já fui muito irritante porque sempre fui muito argumentativa, heheheheh
    Mas com o tempo fui aprendendo que ter calma e tranquilidade além de me fazer bem melhor ainda me dava mais força.....
    Hoje em dia tento pautar minhas reações na tranquilidade e respeito ao outro. Quando percebo que nada do que eu falar será ouvido, silencio, e isto me deixa bem melhor do que brigar e fazer valer minha opinião na marra......
    Beijo no coração

    ResponderExcluir
  7. Olá, achei seu blog no Dihhit. Bom, presenciei uma discussão por lá e "por acaso" li sua postagem. Belo texto vc escreveu aqui e concordo com tudo o que disse.
    Também já passei por algumas na internet e o que fiz foi cortar relações, ignorar, não responder , muito menos na mesma moeda. Pois o melhor "tapa" que se dá é com luva de pelica, como se dizia antigamente. Ou seja, não responder a altura e sim com inteligência e nível(bom).
    Penso que é muita manipulação e alguma forma de querer aparecer as custas dos outros (tirando as pessoas do sério).
    Cheguei até em pensar em psicopatia em grau leve, pois já li muito sobre isso.
    Acho que toda pessoa que tem o dom de desqualificar as pessoas a todo momento, sendo agressiva com suas palavras para provocar discórdia com certeza tem um temperamento bem duvidoso.

    abraços.

    http://precisomeexpressar.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Tento sempre iguinorar até certo ponto, pois não gosto de discussão, mas muitas vezes tem que se dizer a verdade e chamar atençõa para que a pessoa pare, no bom sentido.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  9. Oi Cleide, você destacou um ângulo bem interessante desta questão. Acho que essa coisa de se irritar ou não também tem a ver com o dia e o momento.

    Acredito que num cenário mais amplo podemos perceber que se estamos numa fase "de bem com a vida" a chance de alguém ou alguma coisa nos tirar do sério diminui consideravelmente.

    De qualquer forma, como parece que pelo menos a maioria de nós não consegue ficar de bem com a vida eternamente (até porque a vida de vez em quando "apronta", para o nosso bem, mas "apronta"), acho que temos que aprender a lidar com esses percalços que fatalmente surgem no nosso caminho, com a menor irritação possível.

    E concordo com você, tentar não cair nas ciladas me parece a melhor coisa a fazer.

    Também adorei teu comentário!

    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Olá Denise.
    O comportamento irritante que é próprio de pessoas sem amadurecimento.
    Lembro-me que quando eu e meu irmão éramos crianças, a palavra que minha mãe mais ouvia era:
    Irritante, Irritando, o verbo era conjugado de todas as formas possíveis.
    Um irritava o outro, só pelo olhar.
    Mais acredito que existam pessoas adultas com este comportamento tipicamente infantil.
    Deve ser falta de Ibope, o melhor é ignorar.
    Adorei seu artigo!
    Parabéns.
    Beijos
    Alba

    ResponderExcluir
  11. Oi Jackie, este tema rende mesmo, né?

    E como sempre, seu comentário já me deu o que pensar aqui.

    Penso que todos nós convivemos diariamente com as pequenas irritações do cotidiano. E realmente tem dias que estamos mais suscetíveis a elas. Então, algumas vezes irritamos e somos irritados. Mas neste caso, tudo passa rapidamente e não chega a causar maiores transtornos.

    Meu foco neste texto são as irritações que mexem com a nossa sensibilidade de forma mais profunda e como podemos tentar evitar isso.

    No caso do Irritante, o que defendo é que a gente não alimente essa sintonia de forma alguma.

    Vou te dar um exemplo. Quando recebi meu primeiro comentário desagradável(e de baixo nível), fiquei numa angústia enorme.

    Não revidei, porque se existe uma coisa que realmente já aprendi é que não posso reagir sob impacto, não tenho a serenidade necessária para fazer isso de uma forma positiva. Serenidade essa que aliás você tem bastante, já pude observar. Sua bandeira da paz funciona com perfeição.

    No meu caso, corro o sério risco de mandar o "agressor" para um lugar muito distante, já comprovei isso em diversas oportunidades. Principalmente se a agressão tiver por alvo quem gosto ou admiro.

    Assim que me recuperei um pouco, o que fiz foi a única postagem que escrevi com raiva até hoje. Noto claramente uma certa truculência nela, incomum na forma com a qual me expresso.

    De qualquer forma, ela se tornou uma das minhas postagens mais acessadas e o que ela contém é exatamente a forma com a qual encaro este assunto.

    Mas um certo tempo depois, analisando a situação fiquei me perguntando do porquê de ter sido tão afetada por este episódio.

    O que será que me fez dar tanto valor a opinião de quem nem conheço a ponto de ficar tão abalada? Minhas convicções seriam assim tão frágeis? O que me abalou realmente? A violência das palavras ou a depreciação do meu trabalho?

    Depois disso posso te dizer que recebi outras "pérolas" em forma de comentários "anônimos" e te digo que sinceramente, não me afetam em nada.

    Tanto que essa opção continua liberada, até porque tenho recebido também ótimos comentários dos "pensadores" anônimos que compensam as chatices de quem não tem o que fazer.

    E como ninguém gosta de falar sozinho, os desagradáveis que já eram poucos estão ficando cada vez mais raros devido à moderação.

    Quando digo que não devemos alimentar a sintonia com os amigos irritantes e revidar, digo isso porque sei que é pura perda de tempo.

    Provocações não são idéias então não adianta dialogar, esclarecer ou refutar. Provocações são simplesmente afirmações soltas, geralmente repetitivas cujo foco é apenas nos tirar do sério. Não servem como base para um debate positivo.

    Mas não revidar não significa que a gente não deva se posicionar. A partir dos nossos blogs e de debates construtivos como esse nosso aqui, podemos unir forças e lutar por um ambiente melhor para todos nós.

    Sempre vou defender que violência por palavras (escritas ou faladas) é uma violência como qualquer outra e não pode ser aceita e muito menos incentivada.

    Viu só que você fez?...rs. Eita, fiz um post aqui!

    Não preciso dizer que adorei teu comentário, né?

    Bjs

    ResponderExcluir
  12. Olá Denize. A melhor maneira de agir é ignorar! O que a pessoa deseja é chamar atenção, que nós não devemos dar, é duro aguentar, muitas vezes contar até dez não é suficiente, mas ainda é a melhor opção porque caso contrário, depois de reagirmos, ficaremos irritados é conosco mesmo, por termos dado o gostinho ao irritante de nos atingir.
    Abraços,

    ResponderExcluir
  13. Olá Denize!

    É maravilhoso vir aqui em seu espaço, pelo que pude sentir ao ler, nem irritou e nem quis irritar e sim esclarecer algo que bem disse no final, como conhece bem, soube realmente dar uma aula com grande sabedoria, por isso é essencial conhecer nossos pontos fracos, nossos defeitos e fazer um bem geral, cooperando com todos, esclarecendo passo a passo como é e também como lidar com isso, confesso que não é tão simples assim, pra quem precisa lidar com isso diariamente, enfim, tudo é sempre um grande aprendizado e tudo o que está em nossa frente e caminho é válido para o nosso desenvolvimento que como sempre digo todo conhecimento é luz e sempre nos esclarece trazendo consciência! Parabéns pelo texto esclarecedor!

    Um abraço,
    "Todo o Conhecimento é Luz que Inspira a Alma" -*Vera Luz*-

    ResponderExcluir
  14. Oi Luísa, eu como irritante "aposentada"...rs, posso lhe afirmar que seu método funciona perfeitamente.

    Quando se refere a um amigo então, funciona melhor ainda esse pequeno "castigo" chamado ausência.

    E pode mesmo acontecer do irritante sair irritado...

    Uma coisa que aprendi foi deixar claro para as pessoas de um modo geral que não pretendo ficar perto de ninguém que não me trate como eu mereço ser tratada e como procuro tratar os outros.

    Bjs

    P.S: Continuo te aguardando. Não precisa ter pressa não, viu?

    ResponderExcluir
  15. Oi Valéria, pelo que tenho observado, você é uma pessoa que resiste bem às provocações e consegue se posicionar sem perder a calma em momento algum. Eu infelizmente não posso dizer o mesmo, pelo menos não num primeiro momento.

    Quem age como você, consegue atuar muito bem em situações de conflito e levar tranquilidade a ambientes conturbados.

    Mas menina, não consigo sequer imaginar você irritando alguém nesta vida. Até porque, na maioria das vezes, não são os argumentos que irritam, mas sim a forma como eles são colocados.

    E também claro, como você colocou muito bem, a intenção de convencer os outros "na marra", sem compromisso com educação ou respeito, ajuda bastante a tirar os outros do sério.

    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Oi Carla, seja sempre bem-vinda aqui!

    Acho que quem interage muito na internet, não tem como evitar ser alvo de algumas pessoas que não tem o que fazer, eventualmente. E se a gente não quiser se estressar, tem que aprender a lidar com isso.

    Como você viu no texto, eu atribuo esses comportamentos irritantes à vontade que algumas pessoas têm de chamar a atenção, sem se dar conta que esse método não é bom. Pura imaturidade.

    Tomei por base para fazer essa afirmação, não só quem atua na internet, mas as atitudes de pessoas "reais" que conheci. E como você viu no texto, minha experiência pessoal.

    Claro que nos casos mais sérios, onde alguns extrapolam todos os limites do bom senso, talvez se possa realmente pensar em algum problema psicológico mesmo.

    Adorei teu comentário!

    Bjs

    ResponderExcluir
  17. Oi Fátima, entendo o que você quer dizer. A vontade mesmo é chamar a atenção para que a pessoa não continue com esse tipo de atitude.

    Apenas acho, como disse pra Jackie, que isso no mais das vezes, pode dar efeito contrário. E incentivar a pessoa a continuar, já que bem ou mal, ela conseguiu a atenção que queria.

    Mas respeito tua opinião, viu?

    Bjs

    ResponderExcluir
  18. Oi Alba, gostei muito do teu comentário e vejo como você esta questão.

    Ser adulto não significa necessariamente não ser imaturo, né?

    E seus exemplos são bem interessantes. Certos tipos de atitude me fazem lembrar das crianças, quando "aprontam" mesmo sabendo que vão levar uma "bronca" dos pais. Afinal, conseguiram a atenção que queriam e ainda não aprenderam que existem formas bem melhores de se conseguir isso.

    Bjs

    ResponderExcluir
  19. Oi Ademar, penso como você, mas não reagir é muito difícl, né? Tem gente que exagera tanto que nem contando até um milhão a gente consegue evitar de ficar irritado, mesmo que consiga não revidar.

    E eu sempre penso que o estresse da vida "real" já é mais que suficiente. Temos que pelo menos tentar não agregar a ele irritações "virtuais".

    Abração

    ResponderExcluir
  20. Oi Vera, obrigada!

    Mas não é nada fácil lidar com esse tipo de coisa diariamente, né? Mas muitas vezes isso é inevitável.

    Como você diz muito bem e eu concordo, todo o conhecimento é luz, mas também penso que ele só se transforma em aprendizado verdadeiro quando se reflete nas nossas atitudes. E essa é a parte mais difícil.

    Acho que só quando tomamos consciência das nossas próprias dificuldades se torna possível superá-las. E penso que essa consciência nos torna mais compreensivos com as dificuldades alheias.

    Bjs

    ResponderExcluir
  21. Olá,
    Ok, mas ... e se o irritante for eu mesma, e o pior: se eu irrito as pessoas sem querer?
    Eu e minhas irmãs temos um pequeno negócio, e quando temos que decidir algo juntas, minhas irmãs se irritam com tudo, desde o tom de voz, até a maneira como eu coloco as mãos, com as expressões faciais, com as palavras escolhidas. Se eu digo "você não pode levar em consideração", imediatamente já tem uma resposta irritada: "Mas você não pode dizer que EU NÃO posso levar em consideração, pois EU não estou levando em consideração, quem está levando em cosnideração é você, veja como você é grossa, como fica sempre na defensiva, como fica me pressionando...", etc, etc...
    Já cheguei a ter que pedir desculpas antes de iniciar uma conversa, cheguei a dizer: me desculpe se eu fizer qualuqer expressão, que não esteja de acordo, se eu falar alto demais, eu não tenho a intenção de pressionar, de criticar, de debochar de ninguém... É ridículo. Já descobri que a única maneira de não irritar é ficando calada. É uma pena perceber que um negócio familiar no meu caso é absolutamente inviável.

    ResponderExcluir
  22. Acredito que o diálogo é base de tudo e ignorar talvez nãoseja a única saída. Dar feedback sobre o quanto o comportamento dessa pessoa irrita as pessoas seria muito interessante, mesmo que isso implique em rompimento de relacionamentos. Focar-se no comportamento da pessoa e não na sua essência ( vc afirmar que a pessoa é isso ou é aquilo vc está apenas rotulando)e ressaltar também seus pontos positivos, pois afinal todos nós temos algum, é de suma importância. Infelizmente, perdi uma amizade recente pq explodi com o jeito irritante de uma amiga que já estava me tirando do sério há muito tempo e vomitei todos os seus comportamentos indesejáveis para ela, acabou que ela queria bater boca procurando defeitos e dizendo que eu deveria me tratar, mas confesso que estou aliviada, pois nunca mais ouvi idiotice alguma e percebi que as minhas afirmativas mexeram com ela, tomara que ela reflita mais... e eu tentarei contar até 1000 a partir de agora. Muito bom seu post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. colega... você foi corajosa!!! mas é tão doloroso pra mim uma discução que vou preferir evitar... as pessoas parecem que enlouqueceram, só pensam em si mesma, e saem ofendendo e destratando a qualquer pessoa sem ao menos saber da vida dela, e nem assim dá direito de algum julgar ou menosprezar.
      Acho que a falta de Deus torna as pessoas mesquinas e cada vez mais má, deixando a aflorar a natureza humana inclinada ao pecado e ao dolo.

      Excluir
  23. Eu sou do tipo que nunca consigo ter uma resposta quando pessoas me irritam falando coisas absurdas, sempre fico quieta ouvindo, não consigo falar nada,não consigo virar as costas e sair andando.E depois de tudo fico sentindo ódio de mim mesma por ter sido tão boba em deixar aquela pessoa falar tantas besteiras sem ter a resposta merecida e fico remoendo isso por tempos e tempos e quando vejo a pessoa na rua rapidamente e nem percebo quem é acabo cumprimentando-a como se nada tivesse acontecido e aí depois fico com mais raiva de mim porque queria ignorá-la pelo menos nesses momentos.

    ResponderExcluir
  24. Achei esse artigo muito legal e esclarecedor, estou numa fase da vida que não quero mais me estressar por coisas "pequenas" já entendi que as pessoas são irritantes por ter que autoafirmar com se tivessem que dizer que não se pode ignora-las ou não dar atenção, pura mediocridade e incostância, talvez tristeza ou mágoa...
    Só sei que convivo com uma pessoa assim na minha familia, e muito proxima a mim (não posso revelar quem é), só sei dizer que é quase impossivel conviver com ela, o "quase" é por que se a pessoa for muito sábia pode até tolerar, mas nem sempre aguenta, provoca, insulta, e menospreza e por aí vai!!
    Felizmente estou aprendendo a lidar com ela, antes era sofrível, mas agora vou começar a ignorar, pois ela vai perceber que as provocações dela podem até me atingir de certo modo, pois não sou surda, mas não terá grande repercução rs rs rs.

    bju. :)

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante e esse espaço é seu. Aqui você pode concordar, discordar, ensinar, enfim, passar a sua visão e experiência de vida. E sempre procuro responder a todos.

Só tem um detalhe: comentários agressivos e com palavrões não serão publicados, porque vão de encontro à proposta deste blog, que é contribuir ainda que modestamente, para a Paz e Harmonia.

Desde já agradeço a atenção.